domingo, 18 de abril de 2010

Is anyone going anywhere? [2]

Continuação.

[Sophie

Ela suspirou um pouco. Olhando ao redor com os lábios entreabertos.
- Lindo.. sim, é verdade.
Ela sentiu ele se aproximar lentamente, com uma postura um tanto autoritária, com uma presença muito forte. Ele deveria ser importante. Mas não fazia diferença, sua cabeça estava com muitas coisas para pensar. Ela permaneceu quieta. Ele permaneceu em pé a sua frente, com as mãos para trás, a observando com um olhar meio divertido.
- Mas a senhorita estaria tão preocupada com o quê?
Isso sim, a fez olha-lo com uma expressão um tanto raivosa.
- Acha, o senhor, que não tenho com o que me preocupar? Sim, sim. Deves pensar que meus afazeres se resumem a bordados, e conversas sem propósito com outras mulheres.
Isso o pegou desprevenido, sua expressão mudou, retraindo um pouco sua sobrancelha.
- Perdoe-me, não foi isto que...
- Sim, sim eu sei. É sempre isso que todos pensam. Devo conhecer um homem com o qual não sei quem é realmente, nem seus afazeres, muito menos o que tem em sua mente. E sim também, devo me casar. Porque é isto o que as mulheres são treinadas para fazer não é mesmo? Que futuro diferente teria...
Ela voltou a baixar os olhos, cobrindo-os com uma das mãos, ainda suspirando. Ele permaneceu em silêncio.
- Desculpe-me.. eu não deveria.. - Disse ela, ainda sem levantar os olhos.
- Não tente entender o que passa em minha mente, minha senhora. Mas eu discordo.
Ele se abaixou, de modo a ficar no mesmo nível que os olhos dela. Ela o encarou novamente. Ele abriu seus lábios para começar a falar, mas parou um instante. Não tinha percebido o quanto azuis eram aqueles olhos...
- Admira-me muito o modo como pensa. Isso quer dizer que não é qualquer mulher.
Ele a olhava intensamente, isso a fez arquear um pouco, fazendo com que quase não conseguisse suportar aquele olhar.
- Mas, não devia achar que as tarefas de uma mulher sejam tão insignificantes assim. Uma casa depende de todas vocês. Para funcionar, para ter organização, para que tudo saia certo. Para que não aja confusão, para que nos homens, possamos cuidar de nossos afazeres, porque também o temos, sem precisar nos preocupar, com empregados ou qualquer outra coisa. Vocês são a força, a disciplina destes lugares. Assim como nós somos os comandantes. É errado que tantos vejam os seus trabalhos de forma inferior, pois eu acho que o que seria de nós sem alguém para que pudesse nos mostrar vários ângulos de varias situações, quando estamos perdidos. Sim, minha senhora, eu realmente adoraria abdicar dos meus afazeres, e ir atrás de coisas maiores. Mas eu tenho obrigações, são importantes, assim como as suas. Não se sinta inferior por isso, pois eu lhe garanto, não é.
Ela demorou um tempo para absorver aquelas palavras, e acabou suspirando fundo. Ele estava muito perto.
- Muitos não pensam como o senhor.. - ela começou baixo, vendo claramente que havia perdido a batalha daquela conversa.
- Sim... mas devemos levar em consideração o pensamentos de outras pessoas, na nossa vida?
Ela permaneceu em silêncio. Desvio o olhar, e se levantou, arrumando seu vestido. Ele se levantou e permaneceu ao seu lado.
- Não devemos. Peço perdão, está claro que o senhor não é um homem qualquer também.
Permaneceram a se olhar um momento. Ele voltou a sorrir.
- Mas, deve estar ciente da festividade que terá nestas terras nos próximos dias.
- Sim, eu sei. - Ela respondeu, fechando os olhos um momento. Claro que sei, meu casamento será anunciado nela, pensou.
- A senhora irá?
- Estarei lá. - ela respondeu, tentando arquitetar um sorriso.
- Ah que bom, nos encontramos então. - ele sorriu, inclinando a cabeça numa reverência, se despedindo.
Ela retribuiu, e o observou ir.
Naquela noite, em seu quarto, onde geralmente lia algo ou simplesmente ficava em silêncio, sua mente gritava. O peso de tudo o que ele disse, pairava sobre sua mente de uma forma inexplicável. Sem querer ele havia despertado, e mostrado algo diferente a ela, uma outra visão, como se a fizesse acordar. Parar de agir como uma criança, que apenas reclama de tudo, ao invés de pegar o que tem e tentar ser feliz com aquilo. E convenhamos, ela tinha muito, era privilegiada. Ela se sentia mais... mulher, por enxergar desta forma. Mulher... foi o que ele disse. Este pensamento a fez estremecer.

[Nathan
Nathan estava à varanda de seu quarto, observando a imensidão de terras que estava a sua frente. Dali a alguns meses tudo aquilo seria seu, junto com toda a responsabilidade. Este era seu pensamento por muito tempo, mas hoje, tudo se misturava. Ele pensava na moça que conheceu por acaso.. e naqueles olhos. Ele fechou os seus, e respirou fundo. Nem ao menos sei seu nome, pensou. Uma batida na porta interrompeu seus devaneios, e ele viu seu pai entrar no quarto, e se aproximar. Ficaram lado a lado em silêncio, observando a noite.
- Não há porque se sentir tão pesado filho.. eu estarei sempre aqui para auxiliá-lo.
- Eu sei..
- Está tudo preparado para a festa. Sua mãe não fala em outra coisa.. – seu pai riu. – Teremos grandes dias, eu me orgulho, e sei que me orgulharei cada vez mais. Boa noite.
- Boa noite, pai.
Novamente sozinho, a moça invadia sua mente, e invadiu seus sonhos. No dia anterior, após algumas obrigações, decidiu ir até as mesmas árvores, para ver se a encontrava. O lugar estava vazio, e sem o sol anterior. O dia estava nublado hoje, o que deixava tudo muito mais sombrio. Ele permaneceu ali por várias horas, mas ninguém veio.

[/Sophie
A manhã inteira daquele dia havia sido gastada com retoques ao seu vestido de noiva, e ela se sentia agoniada. Queria voltar às árvores, queria falar com ele.. Assim que conseguiu se livrar, correu pelos largos campos daquele lugar. Mas ao chegar ao lugar, não encontrou ninguém. Sua respiração estava acelerada, e foi voltando ao normal aos poucos. Ela observou o lugar um momento, enquanto soltava seu vestido e andava lentamente, procurando, tentando ver se ele estava perto.

Continua..

Um comentário:

Danilo disse...

Gostei, fiquei curioso pra saber o que acontecerá, se tiver um pouco de intriga e pancadaria no meio fica melhor ainda =)
parabens ^^